Emagrecimento e Perda de Peso: Que caminho seguir?

Como perder peso: conheça algumas mudanças de hábito importantes para quem deseja perder peso e informações importantes sobre a cirurgia bariátrica para perda de peso.

Sabemos que para emagrecer com saúde é necessário que o corpo gaste mais calorias do que consome. Entretanto, cada pessoa tem um processo de emagrecimento diferente, o que pode, por vezes, atrapalhar o entendimento de como perder peso com saúde e frustrar expectativas pelos baixos resultados apresentados na tentativa de diferentes dietas.

Nesse artigo apresentaremos algumas medidas importantes de mudança de hábitos e estilo de vida que podem auxiliar no emagrecimento e no entendimento de como perder peso com saúde e opções modernas da medicina como a cirurgia bariátrica. Vejamos:

Mudanças de hábitos importantes para emagrecer com saúde!

1 – Ritmo de alimentação e respeito a saciedade do corpo:

Um dos grandes problemas de quem ganha peso fácil é a aceleração com que se alimenta. Comer devagar é fundamental, pois permite que o estômago saciado avise o cérebro que já recebeu comida suficiente. Em outras palavras, é o sinal que o estômago transmite ao cérebro, geralmente antes de estar completamente cheio, avisando que já não precisa de mais alimento. Quem tem o hábito de comer rápido acaba por não perceber esse sinal de saciedade e, assim, reduz o tempo de contato com a comida, o prazer de aproveitar a refeição e ganha peso com mais facilidade.

O respeito a saciedade é um pilar fundamental da mudança de hábito para emagrecer com saúde. Saciar o estômago com alimentos ricos em nutrientes e fibras, como frutas, carnes, verduras e gorduras boas, faz com que o metabolismo funcione melhor e aumente sua capacidade de se saciar com maior qualidade.

2 – A importância da ingestão de água:

A ingestão de água é fundamental para todos e ainda maior para quem quer aprender a perder peso. Mas porque beber muitos líquidos entre as refeições? Pois isso irá auxiliá-lo na diminuição da fome e na retenção de líquidos, produzindo mais urina e, consequentemente, eliminando toxinas que prejudicam o processo de emagrecimento.

A quantidade de água recomendada para um ser humano adulto varia entre 1,5 a 3 litros diários. Dentre os líquidos que podem ser ingeridos e ajudam nesse processo estão: água de coco, sucos naturais sem açúcar, chás sem açúcar e a própria água. Refrigerantes, achocolatados, bebidas alcoólicas e sucos de caixinha ou em pó são prejudiciais a esse processo, principalmente pela alta carga de açúcar.

3 – Os exercícios físicos:

Pode parecer óbvio, mas nunca é tarde para repetir: os exercícios físicos são fundamentais em qualquer circunstância. É importante ressaltar que o tipo de exercício não é o mais importante (claro, sempre procure por aquele que melhor se adeque ao seu perfil), mas sim a regularidade da prática. Estima-se que a realização de exercícios por pelo menos 3 vezes na semana já é um avanço positivo.dieta e exercício

Ao contrário do que imaginamos, todo tipo de exercício físico ajuda a perder peso, não só os aeróbicos como caminhada, bicicleta e corrida. A musculação, por exemplo, também é um grande agente de emagrecimento e ainda oferece a vantagem do aumento da massa muscular, consequentemente melhorando o metabolismo.

Para quem tem dificuldades em começar um exercício regular ou tem muito pouco tempo pela correria da rotina, alguma atividades e escolhas diárias podem fazer toda a diferença na mudança de hábito. Dentre as principais podemos incluir:

Percorrer um pedaço (ou o trajeto todo se possível) do caminho para o trabalho caminhando;
Subir escadas ao invés de utilizar o elevador em alguns dias da semana;
Sair para uma caminhada leve após o almoço;
Levar o cachorro para passear à noite.

4 – A quantidade de comida:

O corpo necessita de praticamente todos os nutrientes presentes em muitos alimentos evitados em diferentes tipos de dietas. Por isso, o ideal é não se privar de nada, comer de tudo, mas em pouca quantidade. Para isso, é possível seguir alguns hábitos saudáveis como:

Ingerir salada crua antes do almoço e jantar;
Optar por uma fonte de carboidrato por refeição, de preferência vindas de alimentos naturais como frutas, batatas, arroz integral, feijão, lentilha, milho e ervilha;
Evitar o consumo excessivo de açúcar, tomando, principalmente, iogurtes, chás e sucos sem açúcar;
Evitar comer após estar saciado;
Controlar o máximo o comer por desejo ou emoções como ansiedade e tristeza.

5 – Evitar ficar muito tempo sem comer:

Passar por muitas horas sem comer pode induzi-lo a optar por alimentos ruins e ricos em calorias ao invés de preparar o corpo para uma boa e equilibrada refeição. Para isso, é possível adotar algumas medidas como:

como emagrecer

Ter sempre um punhado de castanhas, amendoim, frutas in natura, lascas de coco ou frutas secas na bolsa ou mochila para se alimentar no intervalo do almoço e jantar;
Tentar deixar alguns petiscos baseados em legumes ao chegar em casa enquanto prepara algo para jantar. Palitos de cenoura, pepino com abacate amassado e temperado com sal e pimenta, tomates em cubos com sal e azeite, lascas de coco ou ovo cozido são boas pedidas.

Caso não seja possível realizar alguma refeição ao longo do dia, tente se concentrar em manter a qualidade da próxima refeição e faça pequenos lanches caso a fome apareça. Aos poucos aprendemos a dividir e comer menos alimentos, e o próprio corpo vai se adequando à nova rotina alimentar.

A cirurgia bariátrica

A gastroplastia, ou cirurgia bariátrica, pode ser compreendida como uma plástica no estômago (gastro = estômago e plastia = plástica), e tem por objetivo reduzir o peso de pessoas com IMC muito elevado, consequentemente que possuem dificuldades em adotar processos de emagrecimento mais populares.

A verdade é que o número de pessoas com obesidade vem aumentando no mundo, e a cada dia a cirurgia bariátrica vem se tornando um importante aliado no tratamento de pacientes com obesidade grau 3. O procedimento é indicado, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), para pacientes com IMC acima de 35 kg/m² que apresentem complicações como apneia do sono, hipertensão arterial, diabetes, aumento de gorduras no sangue e problemas articulares.

Veja mais informações sobre a cirurgia aqui.

Pacientes com IMC maior que 40 kg/m² que não tenham obtido sucesso na perda de peso após dois anos de tratamento clínico (incluindo o uso de medicamentos), também podem procurar o tratamento via cirurgia bariátrica.

Os tipos de cirurgia bariátrica

Existem três tipos básicos de cirurgias bariátricas: as restritivas, mistas e disabsortivas. Vejamos:

1 – As cirurgias que apenas diminuem o tamanho do estômago são as chamadas do tipo restritivo. Dentre os nomes técnicos delas estão: banda gástrica ajustável, gastroplastia vertical com bandagem ou cirurgia de mason e gastroplastia vertical em “sleeve”. Com isso, a perda de peso se apoia na redução da ingestão de alimentos.

São procedimentos que diminuem a quantidade de alimentos que o estômago é capaz de receber, induzindo a sensação de saciedade precoce. Podem ser meramente restritiva, não alterando a fome do paciente, ou restritiva e metabólica, que induz à saciedade precoce e também o grau de fome.

2 – As disabsortivas, por sua vez, são cirurgias que alteram pouco o tamanho e capacidade do estômago receber alimentos, mas alteram a absorção dos alimentos a nível de intestino delgado. São também conhecidas como cirurgias de by-pass intestinal ou desvio intestinal.

O procedimento, por causar desvio intestinal e reduzir o tempo do alimento no trânsito pelo intestino delgado, acaba por reduzir a capacidade de absorção do mesmo e, com isso, induz ao emagrecimento.

Essas cirurgias podem ser puramente intestinais, ou seja, sem alteração do tamanho do estômago (atualmente pouco utilizada) ou acrescentada de uma parte metabólica ao se realizar uma parte de cirurgia gástrica em conjunção com o procedimento intestinal, deixando de ser puramente disabsortiva.

3 – Existem também as cirurgias mistas, ou seja, aquelas onde há redução do tamanho do estômago e desvio do trânsito intestinal. Com isso, além da redução na ingestão de alimentos pela redução estomacal, há também a diminuição de absorção de alimentos.

Em outras palavras, a técnica causa uma restrição na capacidade de receber o alimento pelo estômago (que se encontra pequeno) e realiza um desvio curto do intestino com discreta má absorção de alimentos. É conhecida como cirurgia de by-pass gástrico ou fobi-capella.

Existe restrição para a cirurgia bariátrica?

Antes de qualquer tipo de cirurgia bariátrica o paciente é submetido a uma avaliação clínico-laboratorial que irá aferir questões como:

Pressão arterial;
Dosagens de glicemia, lipídios e outras avaliações sanguíneas;
Funções hepática, cardíaca e pulmonar;
Avaliação psicológica.

A endoscopia digestiva e a ecografia abdominal são importantes procedimentos que auxiliam nessa fase pré-operatória.

Quais os benefícios da cirurgia bariátrica?

A maioria dos pacientes, além de obter uma perda de peso grande, conseguem diminuir a progressão e perspectiva do aparecimento de outras doenças relacionadas à obesidade. Dentre as principais estão a melhora significativa ou mesmo remissão da diabetes, o controle da pressão arterial, dos lipídios sanguíneos, dos níveis de ácido úrico e alívio das dores articulares.

antes e depois bariátrica

Existe contra indicação?

Do ponto de vista nutricional, todos os pacientes submetidos à cirurgia bariátrica devem ser acompanhados pelo resto da vida com o objetivo de estruturarem uma dieta qualitativamente adequada. Afinal, quanto mais disabsortiva for a cirurgia, maior a chance do aparecimento de complicações nutricionais como anemias por deficiência de ferro, de vitamina B12 e/ou ácido fólico, até mesmo deficiência de vitamina D e cálcio nas cirurgias mais radicais.

Reposições vitamínicas são importantíssimas após a cirurgia e mantidas por tempo indeterminado. A diarreia pode ser uma complicação nas cirurgia mistas, principalmente pela derivação bileopancreática.

A cirurgia bariátrica é um procedimento complexo e que apresenta certo risco de complicações e deve sempre ser muito bem debatida. Além disso, a intervenção impõe uma mudança fundamental nos hábitos alimentares. Portanto, é primordial que o paciente conheça o procedimento, seus riscos, necessidades e benefícios.

A orientação técnica, o acompanhamento médico, nutricional, psicológico e o apoio da família são fundamentais em todas as fases do processo. Emagrecer se tornou mais do que uma questão de estética, mas principalmente de saúde. Nesses termos, saber como perder peso exige equilíbrio e um planejamento bem estruturado para alcançar o objetivo de forma saudável e concreta.